25.12.07

Espírito natalino

Eu estou tentando me inspirar. Verdade! Já li sites bonitinhos de gente feliz com o Natal e suas tradições. Já assisti programas culinários inspirados. Já li livros com fotos lindas de pratos fabulosos. Já andei pela cidade vazia e tranqüila. Mas eu não consigo. Não dá. Eu não entrei no clima natalino.

Tudo bem que a anfitriã da festa de Natal na qual eu fui na noite do dia 24 presenteou seus convidados com um bacalhau fabuloso. Postas do peixe foram cozidas no azeite com batatas e tomate. Simples. Suculento. De lamber os dedos. Mas mesmo assim, aquele sentimentozinho de que tudo vai ser melhor, de que a época é de esperança, de que a vida é linda, não apareceu. Estranho, mas o Natal não desperta esse sentimento em mim.

Sou mais daquele tipo ranzinza, que reclama do consumo exagerado, não só das lojas, mas também das luzes de Natal espalhadas pela cidade. Reclamo do trânsito causado pela fila de carros esperando para entrar no estacionamento do shopping, reclamo da praça de alimentação cheia um mês antes do Natal e dos leitores que mesmo na manhã do dia 25 escrevem para dizer que você esqueceu de citar aquele número insignificante.

Sou o tipo de pessoa que perde a paciência com matérias explicando sobre como emagrecer no Natal. "Faça sua ceia light", corte carne, corte carboidrato, corte frutas e sobremesas. Corte os pulsos.

Teve um post no blog do Marcelo Katsuki, no entanto, que me fez ignorar tudo isso e agora só consigo pensar na próxima folga que vou ter para aproveitar um novo restaurante paulistano, o L'Atelier.

Reproduzo aqui uma parte de seu texto: "Afinal, onde você encontraria um 'souflê de vieiras com alho poró e molho champagne' a R$ 29,00 ou ainda 'lagostines sobre flan de abóbora gratinado ao sabayon de champagne' a R$ 39,00? Minha amiga Tereza atesta: "A mesma qualidade de casas como D.O.M. e Carlota mas pela metade do preço". E o chef ratifica: "No ano que vem vou introduzir novidades no cardápio mas os preços continuarão acessíveis, essa é a filosofia da minha cozinha". Sorte a nossa."

Ficou com vontade?! Eu também.

Esse novo ânimo me faz ser complacente com aqueles que até agora só conseguiram arregalar os olhos e soltar alguns suspiros de "que horror..." e passar uma receitinha com cara de natal, mas que é ótima pra qualquer época do ano e pra quando vamos alimentar um batalhão.

Batatas assadas com mel

Ingredientes:
- 2 kg batatas, descascadas e cortas em 4
- 1 kg pastinaca (ou cenouras), descascadas e divididas em 2
- 100 g gordura de ganso (você pode comprar no mercado)
- sal e pimenta moída na hora
- alguns galhos de alecrim, folhas separadas
- um maço pequeno de tomilho fresco, amarrado como um pincel
- 2 cabeças de alho
- mel líquido

Modo de preparo:
Pré-aqueça o forno a 200ºC. Encha sua maior panela com ¾ de água salgada e ferva. Com cuidado coloque as batatas na água e cozinhe por 5 minutos, então acrescente as pastinacas e ferva por mais 2 minutos. Escorra.

Retorne os vegetais para a panela e sacuda um pouco, para "machucar" suas bordas, o que fará com que elas fiquem crocantes quando forem assadas. Adicione a gordura e salgue generosamente. Acrescente a pimenta e os dentes de alho espalhados também. Coloque os legumes em uma assadeira e asse por 30 minutos. Amasse suas folhas de alecrim em um pilão e as acrescente aos legumes 10 minutos depois de eles irem ao forno.

Passados os 30 minutos, tire a assadeira do forno. Sacuda um pouco os legumes e com o pincel de tomilho espalhe o mel sobre o assado. Volte a assadeira ao forno e asse por mais 15 minutos até as batatas estarem crocantes e douradas.

Um comentário:

Lilás disse...

Adorei, dê uma olhadinha no meu blog: http://sitecomidinhas.wordpress.com

Claudia